Artigos


Poesias do Aluno Vinícius – “UM”

Tem açúcar, café, bolo, biscoito,

almoço e até uns cafuné.

De vez enquanto até uns puxão de pé, ou até mesmo uns “fica ligado, Zé”.

E  meio do pão, caem lágrimas,

Do início ao fim do bolo, aparecem risadas,

No café, a língua fica amarga.

E quando falo isso, eu lembro de etapas.

Mas se for começar a lembrar, não teria findar,

Muito menos, como prosseguir a falar.

Pois as lágrimas iam pelo rosto rolar,

O almoço ia chegar,

A janta ia passar,

O café ia evaporar,

O doce não iria sobrar,

e mais ia ter que providenciar,

Ou talvez ia ficar na vontade.

E que vontade?

Essa é a pergunta que grita no início, gritará no meio e poderá ir até o final,

Mas de fato a resposta existe desde o PRINCÍPIO.

No PRINCÍPIO do ser, transformar e do viver,

De tudo que somos,

ou um dia venhamos a ser.

Pois o bolo juntou vontades,

O café, verdades

e o pão, pelo que vivemos.

Sendo assim, eu respondo por mim?

Ou não seria por nós?

Talvez precipitado estou em dizer

Mas tenho certeza ao expressar com meras palavras,

Um pouco de vidas.

Que pouco a pouco, mergulhando num todo,

Descora, relembra, experimenta,

a vida que é um todo em todos.

Sendo não só eu, ou você é, mas nós juntos seremos!

Uma família, um corpo, um todo

Com só uma missão e uma só esperança.

Que leva a VERDADE TODA,

No homem todo,

Em todo lugar.

E pra isso vivemos, não só existimos,

Agimos, não só pensamos,

Amamos com expressão, e não só palavras que sozinhas são vagas.

Pois é na simplicidade do sorriso,

Na verdade de um olhar,

E na unidade do eterno, que nos uniu no seu pleno projeto.