Produção Textual Final


“A IESA e uma Proposta de Mudança de Métodos e Estratégias para Eficácia no Trabalho de Missões”

Aluno:

Sebastião Chiquete

Banca examinadora:

1. Dra. Antonia Leonora van der Meer
2. Ms. Affonso Henrique Lima Zuin
3. Ms. Fernando Luís Andrade de Freitas
Data: 19 de julho de 2006 – veja resumo aqui

Resumo:

A dissertação sobre a evolução histórica da IESA e a proposta de mudança de métodos e estratégias para eficácia do trabalho de missões tem o objetivo de levar a igreja à reavaliação do seu trabalho, do seu contexto, à contextualização dos métodos e à redefinição de estratégias para a continuidade da missão de Cristo de maneira integral. Também tem por objetivo ajudar a IESA a sair do estatismo tradicional negativo (status quo) resultante no cuidado conservador exagerado e no medo infundado das mudanças, prejudicando uma igreja como a IESA que tem por missão expandir o Evangelho, proclamando o Reino de Deus e vocacionada a trabalhar para expansão do Evangelho para a causa do Reino de Deus. A tendência de defender os paradigmas históricos pode constituir uma crosta capaz de ofuscar a visão da liderança da igreja em relação ao futuro, resistindo às mudanças. Esta investigação ajudará a IESA a desembaraçar-se de barreiras que impedem o avanço do Evangelho e o crescimento da obra.
Para se chegar aos objetivos preconizados foram precisos três capítulos: o primeiro estuda aspectos importantes de reflexão histórica do que foi a IESA ao longo dos 109 anos. Trabalhando em sete períodos de atuação descobrimos que houve períodos em que o trabalho não ficou estático, houve missionários e líderes que introduziram mudanças nos métodos e estratégias, produzindo grandes avanços para a obra, como o Dr. Rodolphe Auguste Bréchet e o Pr. Eliseu Simeão. Tentamos destacar alguns constrangimentos e terminamos o capítulo com uma síntese.
O segundo capítulo apresenta a situação prevalecente no país como campo missionário hoje, que oferece boas oportunidades para a IESA realizar missões, mas num contexto diferente do passado, o que exige mudanças nos métodos e estratégias para eficácia do ministério transcultural.
O terceiro capítulo é uma etapa que leva aos fundamentos bíblicos, métodos e estratégias que Jesus legou à igreja e o modelo missionário do apóstolo Paulo fazendo algumas sugestões práticas e aplicáveis de mudanças. Na conclusão, confrontando o passado com o presente, encontramos a necessidade de se verificar mudanças em sete aspectos importantes da vida da igreja.

E-mail: shchiquete@yahoo.com.br