Produção Textual Final


DONDE VENS E PARA ONDE VAIS? – Ensino Bíblico Sobre O Tema Do Refugiado No Pentateuco.

Aluno:

DÉLNIA MOMESSO CÉSAR BASTOS

Banca examinadora:

Dr. Timóteo Carriker – Orientador

Prof. Paulo Henrique Barbosa

Prof. Timothy J. Halls

 

Data da defesa: 30 de julho de 2018.

Resumo:

O movimento migratório mundial em busca de refúgio aumentou substancialmente nos últimos anos, atingindo estatísticas sem precedentes. No entanto, muitas igrejas ao redor do mundo se encontram fechadas para receber pessoas de outras culturas, principalmente refugiadas. Isso acontece por várias razões, em parte por egocentrismo, comodismo, preconceito e discriminação, resultantes de pouco ou distorcido conhecimento bíblico sobre o assunto do refugiado. Diante do problema, levantou-se o pressuposto de que o Pentateuco mostra a preocupação divina para com pessoas e povos refugiados; o objetivo foi revelar esta preocupação. Assim, o capítulo 1 introduz o assunto; o capítulo 2 traz a revisão de literatura; o capítulo 3 aponta exemplos de refugiados no Pentateuco; o capítulo 4 discute os ensinos sobre refugiados no Pentateuco; o capítulo 5 traz uma contribuição do Novo Testamento, ao fazer uma leitura da Primeira Carta de Pedro sob a ótica do refugiado; o capítulo 6 discute várias aplicações dos ensinos extraídos para a Igreja hoje; o capítulo 7, que é o último, traz a conclusão da pesquisa. Adotou-se a metodologia da teologia bíblica em todas as páginas, sendo que, no capítulo 5, utilizou-se também o método de estudo bíblico indutivo por grupos de palavras. As principais conclusões da pesquisa foram: primeiro, demonstrou-se a existência do tema “refugiado” nos primeiros cinco livros da Bíblia como um importante fio condutor. O ser humano é migrante por natureza; a história dos patriarcas e do povo de Israel não nega este fato: trata-se de uma trajetória de muitas migrações e exílios. Segundo, demonstrou-se que houve um cuidado especial de Deus na inclusão do estrangeiro na lei de Moisés. A partir do estudo dos ensinos sobre refugiados no Pentateuco, concluiu-se que quatro princípios éticos e teológicos ressaltam e resumem o escopo desses ensinos: inclusão, participação no culto, tratamento com justiça e equidade, e proteção aos menos favorecidos. Terceiro, apontou-se que alguns ensinos da Torá foram citados e confirmados pelo apóstolo Pedro em sua Primeira Carta: Deus não faz diferença entre as pessoas, por isso seu povo de propriedade exclusiva é composto de judeus e gentios, residentes e refugiados, em igualdade e unidade. Por último, foram propostas ações práticas com que o povo de Deus deve incluir e acolher o refugiado. As ações vão desde a prevenção do refúgio até o retorno do refugiado à sua terra (ou outra terra). Espera-se que a pesquisa seja uma ferramenta útil à Igreja na aplicação de preceitos bíblicos frente ao grande movimento de refugiados no mundo hoje. Que o refugiado seja acolhido da mesma forma como Deus o acolhe.

Palavras-chave: Pedro, apóstolo; Pentateuco; refugiado; teologia bíblica.