Resumo dissertação Valberth Veras

Aluno: Valberth Veras da Silva
Título: Cristologia Contextual – Uma Teologia Encarnacional sob a Perspectiva do Quarto Evangelho
Banca Examinadora:
Prof. Dr. Carlos Ribeiro Caldas Filho – Mackenzie
Prof. Ms Alcir Almeida de Souza – CEM
Data: 21 de setembro de 2007

Resumo:
Comunicar a mensagem do evangelho de modo a fazer discípulos de todas as nações é uma tarefa que exige uma profunda seriedade por parte da Igreja de Cristo. Transmitir tal mensagem em categorias aceitáveis para os povos e sem promover o sincretismo é uma exigência do próprio evangelho. Neste contexto se torna claro importância e a necessidade da contextualização do evangelho entre todos os povos. Todavia, tal contextualização deve ser alicerçada em firmes fundamentos bíblicos, e não em pressupostos teológicos de determinadas denominações ou grupos religiosos. É preciso direcionar o debate para uma base mais bíblica e menos tradicionalista. Sustenta-se aqui que entender a Cristo como cem por cento homem e cem por cento Deus é um sólido e bíblico ponto de partida para se pensar a contextualização do evangelho. Muitos equívocos foram e ainda são cometidos por se enfatizar apenas uma dessas duas verdades acerca de Cristo. O fundamentalismo enfatiza apenas o lado divino de Cristo na sua tentativa de contextualização, e dessa forma, transmite um Cristo tão transcendente que não se identifica com o povo. Já, outras linhas como o ecumenismo, a teologia da libertação, a cristologia feminina e a cristologia negra deixaram Cristo tão imanente que pouco se percebe da sua identidade divina. Percebe-se também a carência de uma reflexão contextual na questão da estética brasileira, a qual é cercada de pressupostos denominacionais que pouco refletem a orientação bíblica. Dessa forma, visando diretrizes para uma contextualização que seja fiel ao evangelho, se pretende buscar uma teologia encarnacional, firmada no evangelho de João, e que forneça elementos para pensar a tarefa da contextualização. Nota-se que o apóstolo João realizou uma profunda e sadia contextualização ao comunicar Cristo para o povo grego por meio do seu conceito de logos e de dois mundos. Também, percebemos nos relacionamentos de Cristo, como descrito por João, uma marcante adaptação com o povo e preservação da sua identidade divina. João deixa claro no capítulo 20, verso 21-23 que Cristo é o modelo a ser seguido na tarefa da divulgação do evangelho, e dessa forma da contextualização do mesmo.

E-mail: valberth@fortalnet.com.br

Nenhum comentário ainda.
Nenhum trackback ainda.