Resumo dissertação Vera Lúcia

Aluno: Vera Lúcia Rocha
Título: As Dificuldades de Implantação e Crescimento das Igrejas Evangélicas em Moçambique

Data: 09/07/2007
Banca Examinadora:
Drª. Antônia Leonora van der Meer – CEM
Dr. Luiz Orlando de Oliveira – UFV
Ms. Fernando Luís Andrade de Fretias – CEM

Resumo:
A presente dissertação se propõe a discorrer sobre as dificuldades que as igrejas evangélicas em Moçambique encontraram desde a sua implantação no período colonial no século XVIII até o período da guerra civil, depois da independência (1976 a 1992).
No período de sua implantação, a maior dificuldade encontrada foi a rejeição colonial do governo português. Pelo fato de Portugal ser um país católico tinha grandes restrições à outra religião nos territórios sob o seu domínio. Por causa disso, os primeiros protestantes sofreram muitas perseguições, sendo muitos deles presos ou impedidos de permanecer no país. Contudo, apesar de todas essas dificuldades, muitas denominações conseguiram penetrar e se estabelecer em solo moçambicano.
As primeiras missões protestantes realizaram um trabalho significativo, não só na área espiritual, mas também mudando a vida social de muitos moçambicanos. Na área educacional criaram escolas alfabetizadoras e profissionalizantes proporcionando um melhor estilo de vida para os moçambicanos nativos: criaram também hospitais e centros de saúde em diferentes províncias para atendimento dos negros moçambicanos, pois apenas “os brancos” tinham direito ao sistema de saúde do país.
Em 1975, veio a independência e com ela uma forte perseguição a todos os segmentos religiosos, por causa da entrada do socialismo. Todas as igrejas, escolas e centros de saúde, construídos pelas organizações missionárias, foram nacionalizados, muitos missionários foram presos ou expulsos do país. Instalou-se uma guerra civil, que durou cerca de 16 anos, destruindo grande parte das infra-estruturas de Moçambique, causando a morte de mais de um milhão de pessoas e aproximadamente três milhões de refugiados.
Finalmente foi assinado o Acordo de Paz. Com o país quase todo destruído pela guerra iniciou-se o processo de reconstrução nacional, com a ajuda de igrejas católicas, protestantes e outros segmentos religiosos, cuja ajuda foi solicitada pelo novo governo. Como conseqüência da paz instaurada, as igrejas evangélicas recomeçaram o seu trabalho, enviando mais missionários e recursos materiais para ajudar na reconstrução do país. Hoje Moçambique vive um momento de muitas perspectivas de prosperidade e crescimento material e espiritual. Porém, com a liberdade religiosa, tem entrado um grande número de seitas e tem sido mais valorizado a religião tradicional africana, reconhecida oficialmente pelo governo atual. É o momento das igrejas evangélicas traçarem novas estratégias de trabalho para este novo momento vivido pela nação moçambicana.
E-mail: veraejone@yahoo.com.br

Nenhum comentário ainda.
Nenhum trackback ainda.